Anemia

AnemiaA anemia é definida como uma diminuição do número de glóbulos vermelhos. Os glóbulos vermelhos são as células do sangue, que transportam o oxigénio para os órgãos, daí que uma dimuição do seu número seja preocupante.

Um animal anémico pode ter as mucosas (ex.: gengivas) mais pálidas ou amarelas, cansar-se mais que o habitual, comer mal e não se querer mexer tanto. No entanto, este achado deverá ser sempre confirmado com a realização de análises sanguíneas.

A causa:

As causas de anemia são extremamente variadas e é sempre importante procurar identificar a causa da anemia.

Só desta maneira se conseguirá estipular o melhor tratamento para corrigir e evitar novas anemias.

 

Deixamos aqui alguns exemplos de causas de anemias:

– febre da carraça (babesiose – parasita que se instala dentro dos glóbulos vermelhos e os destroi);

– intoxicação por veneno dos ratos (provocam problemas de coagulação do sangue);

– leucemia felina ou imunodeficiência felina (provocam falhas de produção dos glóbulos vermelhos);

– insuficiência renal crónica em estadios avançados (provoca falta de produção de eritropoietina, hormona que incentiva a produção de novos glóbulos vermelhos).

Para chegar a um diagnóstico, o dono deve colaborar ao máximo, fornecendo ao médico o máximo de informações possíveis:

– se o animal poderá ter ingerido veneno dos ratos, ou ratos mortos com veneno dos ratos;

– se viu carraças no animal recentemente;

– se a cor das fezes e da urina é normal;

– se não deu nenhum medicamento ao animal (antibióticos, analgésicos, contraceptivos, etc);

– se o animal é portador de alguma doença crónica;

– se o animal está vacinado (para tal deve sempre apresentar o boletim de vacinas do animal).

 

Classificação das anemias

As anemias são classificadas segundo o seu grau de intensidade em leves, moderadas ou graves.

Também são classificadas segundo o seu poder de regeneração em regenerativas ou não regenerativas.

As anemias regenerativas são aquelas em que o organismo está a produzir mais glóbulos vermelhos e lentamente o animal irá ficar novamente com o hematócrito normal (ou seja, sem anemia).

As anemias não regenerativas são aquelas em que o organismo não está a produzir mais glóbulos vermelhos. Esta situação normalmente ocorre em animais com doenças crónicas.

No entanto, é necessário ter em conta que quando efectuadas análises num estadio inicial, os resultados podem ser compatíveis com uma anemia não regenerativa, que mais tarde se torna numa anemia regenerativa. Só é necessário dar tempo ao corpo do animal se aperceber que está com um número baixo de blóbulos vermelhos, para que ele depois os começe a produzir.

 

Diagnóstico do problema

Para chegar a um diagnóstico é necessário efectuar diversos exames. As análises sanguíneas são muito importantes, mas para além disso, pode ser necessário efectuar ecografias, radiografias, análises urinárias, etc.

 

Tratamento

O tratamento é estipulado consoante a causa do problema.

No entanto, quando a anemia começa a pôr em risco a vida do animal o veterinário responsável pelo animal pode até mesmo aconselhar efectuar uma transfusão sanguínea.

Nos cães, é raro haver reacção adversas à primeira transfusão. No entanto devem ser sempre realizadas provas de compatibilidade.

Nos gatos há maior risco de incompatibilidade desde a primeira transfusão e por isso é necessário ter mais cuidados.

Quando tudo corre bem, nota-se que o animal melhora mais rápido. É certo que a transfusão não trata a causa primária, mas pode ajudar o animal a reagir e assim ganhar-se mais tempo para começar a tratar, se possível, a causa primária.

 

A Clínica Veterinária Animal Especial tem à sua disposição um serviço de urgências permanente, meio de diagnóstico rápidos para averiguar se o animal tem anemia e efetua transfusões sanguíneas.

Partilhe com os seus amigos!

Esta entrada foi publicada em Doenças com as tags , , , , , , , . ligação permanente.

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.