Excesso de Peso

ObesidadeO excesso de peso é um problema cada vez mais comum nos nossos animais. Considera-se que um animal tem excesso de peso quando tem entre 15 e 30% de peso corporal excessivo, em relação ao ideal e que é obeso quando excede em 30% o valor ideal.

A causa

Quando se considera o obesidade o problema principal, a sua causa é simples: o animal está a ingerir mais alimentos do que aqueles que necessita e por isso há uma acumulação de matéria gorda.
No entanto, a obesidade também pode ser uma consequência de algumas doenças, tais como o hipotiroidismo, hiperadrenocorticismo ou insulinomas. No entanto, nestez casos, o animal deverá também apresentar mais sintomas da doença em causa.
Estatisticamente, a obesidade primária, continua a ser a que tem maior prevalência.

Presdisposição racial

As raças de cães mais predispostas a excesso de peso são:

  • West Highland White Terrier;
  • Cavalier King Charles;
  • Basset Hound;
  • Beagle;
  • Cocker Spaniel;
  • Labrador Retriever, entre outras.

Animais mais velhos têm também uma maior prevalência de obesidade, isto porque as suas necessidades fisiológicas, em comparação com um animal novo, baixam cerca de 20%, mas a quantidade de alimento que ingerem, não acompanha este decrescimo.

A toma de determinados medicamentos, nomeadamente fenobarbital, usado no tratamento de animais com epilepsia e córticos, poderão fazer com que o animal ganhe mais peso.

Consequências do excesso de peso

Como é do conhecimento geral, o excesso de peso não é benéfico para a saúde.
Nos animais, os estudos demonstram que a acumulação excessiva de gordura pode:
Reduzir a esperança de vida do animal;
Provocar osteoartroses e outras doenças ortopédicas devido à sobrecarga articular;
Reduzir a tolerância ao calor e ao exercício (deixam de conseguir correr e brincar tanto);
Provocar a constrição das vias aereas superiores (com consequentes faltas de ar), colapsos traqueais ou paralises da laringe;
Promover uma deficiente auto-limpeza (principalmente em gatos) conduzindo a problemas dermatológicos;
Aumentar o risco anestésico;
Despoletar doenças tais como a diabetes mellitus.

Diagnóstico do problema

Muitas das vezes o diagnóstico é feito durante a consulta de rotina.
O que é importante, é não menospresar a pesagem do animal e ententer isto, como qualquer outro problema que deve ser combatido, tomando medidas sérias, que deverão ser cumpridas por todos os membros de família.

Tratamento

O tratamento será feito seguindo rigorosamente as indicações médicas quanto às alterações a serem efecuadas no regime alimentar (tais como mudanças no tipo de comida, horários da alimentação e quantidade de alimento fornecido).
Deve também, sempre que possível, estipular-se um regime de exercício físico regular, para permitir um maior desgaste calórico e fortalecer a massa muscular que se encontra muitas das vezes debilitada.
Deve também alterar-se as brincadeiras ou comportamentos que têm como prémio alimento, por biscoitos hipocalóricos ou alguns grãos de ração diária.
Os animais que apresentam doenças subjacentes, deverão também ser sujeitos a um plano de emagreciemento, uma vez que o controlo da doença não é suficiente para que o animal perca peso. Muitas das vezes, para um controlo mais eficaz das doenças, é importantíssimo que o animal recupere rapidamente a sua forma física.

Monitorização

Para que o programa de emagrecimento seja bem sucessido, é muito importante pesar o seu animal de 15 em 15 dias ou de mês a mês no seu médico veterinário habitual, para que assim se possam efectuar os ajustes necessários.

Partilhe com os seus amigos!

Esta entrada foi publicada em Cuidados Básicos com as tags . ligação permanente.

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.