Insuficiência Renal

A insuficiência renal é definida como a súbita diminuição da função renal, fazendo com que sejam acumulados no organismo produtos metabólicos que normalmente seriam excretados. Assim, quando se fazem análises sanguíneas detectam-se valores elevados de ureia e creatinina. É de salientar que estes valores só se detectam aumentados quando mais de 75% do rim está lesionado. Até esta fase, a parte saudável do rim, compensa a parte doente e não são detectadas alterações nas análises, nem o animal demonstra sintomas.

Causas e factores de risco:

A insuficiência renal pode surgir em qualquer animal, independentemente do sexo, raça ou idade.

No entanto, existem alguns factores de risco que poderá fazer com que os animais fiquem mais sensíveis a esta doença, nomeadamente:

– Existência de doenças prévias;

– Desidratação;

– Choque;

– Hipotensão;

– Exposição a toxinas (etilenoglicol, metais pesados, etc);

– Septicemia (existência de bactérias na corrente sanguínea);

– Trauma;

– Pancreatites;

– Hipertensão;

– Idade avançada;

– Hipoadrenocorticismo;

– Perda de sangue na urina;

– Inflamações nas veias;

– Doenças infecciosas (tais como a Leptospirose e Borreliose).

Sintomas compatíveis com insuficiência renal:

– Aumento da ingestão de água;

– Aumento da frequência e volume urinário;

– Urina muito clara/translúcida;

– Falta de apetite;

– Hálito com cheiro a maça;

– Vómitos que podem ser com sangue;

– Anemia;

– Fraqueza muscular;

– Descoordenação;

– Dor abdominal;

– Desidratação;

– Temperatura baixa;

– Úlceras na boca e/ou lingua.

Diagnóstico:

O diagnóstico é efectuado com base nos sintomas, exame físico e análises sanguíneas.

Para melhor avaliação do problema pode ser pedido para se efectuarem radiografias, ecografias, análises à urina, exames de contraste, biópsias renais e testes a algumas doenças infecciosas.

Tratamento:

O principal tratamento consiste na administração de soro (por via endovenosa). Este tem o grande objectivo de hidratar o animal que normalmente se encontra desidratado nestas situações e possibilitar ao rim recuperar a sua função.

Consoante o estado do animal e a causa do seu problema, pode ser ainda aconselhável efectuar a administração de antibióticos, diuréticos, protectores gástricos e antieméticos.

 Alguns casos específicos poderão ainda beneficiar de diálise peritoneal ou hemodiálise.

A alimentação deve ser introduzida o mais rapidamente possível, desde que o animal não vomite nem apresente gastrites. O ideal é o animal comer uma ração ou comida de lata própria para animais com problemas renais.

Prognóstico:

A insuficiência renal é um problema muito grave, que exige cuidados imediatos.

O prognóstico é baseado na evolução do animal após o início do tratamento:

Têm bom prognóstico os animais que baixam rapidamente o valor de ureia e creatinina;

Têm mau prognótico todos os animais que não demonstram melhorias nas análises sanguíneas independentemente do tratamento.

Os animais que recuperam podem ficar com sequelas. Quando isto acontece, diz-se que o animal tem uma insuficiência renal crónica. Estes animais têm que ser vigiados de perto, a alimentação deve ser própria para doente renal e devem ter água fresca sempre disponível. Não deve adminstrar nenhum medicamento sem antes consultar o seu médico veterinário, uma vez que alguns medicamentos podem ser tóxicos para o rim.

 

Partilhe com os seus amigos!

Esta entrada foi publicada em Doenças com as tags , , , , , . ligação permanente.

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.