Intoxicações caseiras

O que constitui um tóxico para o meu cão / gato?

Existem diversos tipos de tóxicos para os nossos animais de companhia. Os tóxicos podem genericamente agrupar-se em:

  • venenos usados para outras espécies (ex: raticidas, veneno para as formigas, caracois ou escaravelhos.);
  • detergentes de limpeza (amoniacais, lixívia, champôs anti-caspa, ingestão de gel de banho ou desodorizantes);
  • medicamentos (Bun-u-ron®, Brufen®, Aspirina®, antidepressivos, anti-histamínicos);
  • bebidas alcoólicas, haxixe, cocaína e marijuana;
  • contacto com alguns insectos (abelhas, formigas, vespas ou “lagarta do pinheiro”) ou cobras;
  • desparasitantes externos não adequados para a espécie ou em diluições inapropriadas;
  • Alimentos humanos (ex: chocolate, uvas, passas, cebola, alho, café ou chá preto, abacate, algumas espécies de cogumelos);
  • Produtos de uso humano (pastilhas elásticas, pastas dos dentes ou produtos alimentares com a designação “ligth”);
  • Desperdícios de lixo doméstico (devido às endotoxinas bacterianas do lixo fermentado);
  • Ingestão de algumas espécies de plantas domésticas.

Quais são as intoxicações mais frequentes no cão?

Da nossa experiência são:

  • a ingestão de rodenticidas ou outros venenos usados para outras espécies;
  • reacções alérgicas à picada de insectos;
  • adminstração sem indicação médico-veterinária de medicamentos humanos;
  • desparasitantes externos em champô ou solução inseticida.

Quais são as intoxicações mais frequentes no gato?

Os gatos não animais mais seletivos. Por este motivo, não é tão frequente a ingestão voluntária de tóxicos. Assim sendo, os casos mais frequentes de intoxicação nos gatos relacionam-se com a administração de medicamentos, ou desparasitantes externos não adequados para a espécie.

Quais são os sinais que me levam a suspeitar que o meu animal possa estar intoxicado?

A ingestão do tóxico constitui uma evidência clara de possível intoxicação.

Outros sinais possíveis são:

  • salivação;
  • tremores;
  • extremidades frias;
  • dificuldades respiratórias;
  • desorientação;
  • vómito;
  • dor abdominal;
  • debilidade / apatia;
  • falta de apetite;
  • focinho aumentado de tamanho.

É uma urgência médica?

Sim, no caso de notar algum destes sintomas no seu animal não deve esperar que ele melhore. Deve dirigir-se imediatamente para o médico veterinário. Os sintomas vão evoluindo com o passar das horas, podendo tornar-se irreversíveis e levar à morte do animal.

O que posso fazer até chegar à clínica?

Devido à grande variedade de tóxicos e suas consequências, deverá sempre consultar o seu médico veterinário, antes de administrar o que quer que seja.

A administração de azeite, sal ou leite, pode (dependendo do tóxico) aumentar a absorção do tóxico e consequentemente a evolução dos sintomas, pelo que está contra-indicado.

Como posso evitar que o meu animal passe por esta situação?

Não usar rodenticidas ou outros venenos;

  • Não administrar medicamentos sem a prescrição médico-veterinaria;
  • Não dar banho com produtos inseticidas sem prescrição médico-veterinária;
  • Antes da aplicação de desparasitantes externos assegurar-se que estão na dose adequada e que são apropriados para a espécie;
  • Evitar o acesso a detergentes de limpeza, lixo e produtos de alimentação humana;
  • Guardar todos os medicamentos em locais seguros, fora do alcance dos animais;
  • Não administrar bebidas alcoólicas, haxixe, cocaína e marijuana.

Lembramos que temos ao seu dispor um serviço de urgências 24h. No caso de suspeita de intoxicação, ligue-nos através do 93 161 28 25.

Partilhe com os seus amigos!

Esta entrada foi publicada em Cuidados Básicos, FAQs, Informações Úteis com as tags , , , . ligação permanente.