Perda vs Aumento de Peso

Vigie o peso do seu animalA perda de peso excessiva ou a obesidade ocorrem quando há um desequilíbrio entre as calorias ingeridas e as necessidades do animal ou quando há problemas de saúde.
Rápidas alterações de peso do animal podem dever-se a alterações na quantidade de água corporal. Por exemplo: o aumento de peso pode ocorrer em ascites ou efusões e a perda de peso pode ocorrer devido a desidratação ou tratamentos com diuréticos.
A perda de peso ou aumento de peso considera-se significativa quando há um aumento ou diminuição do peso igual ou superior a 10%, não associado a alterações dos fluídos corporais.

Perda de peso:

A perda de peso tem que ser entendida como uma situação digna de prestar a atenção, mesmo em animais obesos. Uma perda de peso exagarada em curto espaço de tempo pode ser indicativo de doenças.
Existem duas grandes causas de perda de peso:

  • Alimentação insuficiente;
  • Maiores necessidades nutricionais devido a uma doença ou estado do organismo (por exemplo: gravidez ou amamentação).

Factores de alimentação insuficiente:

  • Dietas (rações) de fraca qualidade;
  • Boa qualidade de ração mas dada em quantidade insuficiente;
  • Incapacidade de apanhar o alimento do prato, mastigar ou deglutir;
  • Náuseas e vómitos;
  • Regurgitação;
  • Anorexia ou falta de apetite.

Factores de maiores necessidades nutricionais devido a doenças:

  • Má digestão;
  • Má absorção.
  • Hipertiroidismo;
  • Diabetes mellitus;
  • Hipermetabolismo devido a trauma, stress ou doença sistémica;
  • Febre;
  • Tumor;
  • Problema cardíaco;
  • Problema hepático crónico;
  • Problema intestinal com perda de proteína;
  • Problema renal com perda de proteína;
  • Perda de sangue crónica;
  • Queimaduras severas;
  • Infecções na pele severas.

Aumento de peso

O principal factor que faz aumentar o peso é a ingestão de mais calorias do que as dispensidas. Estudos revelam que entre 25 a 40% dos animais vistos em clínicas têm excesso de peso.

Causas de excesso de peso:

  • Dificuldade por parte do dono em reconhecer que o animal não tem tantas necessidades nutricionais como as que lhe costuma ingerir;
  • Dificuldade em reconhecer que animais mais velhos, castrados ou com problemas ortopédicos têm menos necessidades nutricionais devido a fazerem menos exercício;
  • Falta de reconhecimento por parte dos donos que a administração de snacks significa um aporte nutricional extra;
  • Comportamentos de forçar os animais a comer mesmo quando não têm fome;
  • Falta de excercício físico devido à falta de disponibilidade do dono ou devido a doença do animal;
  • Mantenção de um gato ou cão sempre no interior da casa;
  • Alimentação do animal com comida caseira (com mais gordura que a ração e menor equilíbrio nutricional);
  • Dietas com elevado teor de açucar;
  • Dietas com elevado teor de gordura;
  • Factores genéticos (Labradores, Cavalier King Charles, Cocker, Basset Hound e Beagle são raças predispostas à obesidade);
  • Interacções sociais com outros animais (maior tendência para a ingestão de maior quantidade de comida);
  • Hipotiroidismo;
  • Hiperadrenocorticismo;
  • Insulinoma;
  • Administração de pílulas, córticos, calmantes e anticonvulsivos;
  • Destrição bilateral do centro hipotalâmico da saciedade.

Animais obesos têm menor qualidade e esperança de vida.
Surgem com maior frequência problemas respiratórios, circulatórios, osteoartrites, diabetes, problemas hepáticos e pancreáticos.
Os animais obesos correm maiores riscos anestésicos e cirúrgicos.
O gatos obesos têm maior predisposição para problemas urinários.

Por estes motivos é extremamente importante vigiar o peso do seu animal e ouvir as recomendações médicas dadas nas consultas.

Partilhe com os seus amigos!

Esta entrada foi publicada em Cuidados Básicos com as tags , . ligação permanente.

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.